A Importância da música nas crianças

    "A partir do 4° mês de vida intrauterina, já há vários sentidos desenvolvidos, inclusive a audição." (Matias, G.F., 1999)

 

IMG_5005.JPG      Estudos mostram que o feto é capaz de reconhecer sons do exterior, que embora atenuados pelos sons corporais da mãe, não deixam de ser estímulos importantes para o desenvolvimento. Sabe-se agora que os fetos reagem a esses mesmos estímulos com movimento ou apenas alterando o batimento cardíaco.

      A exposição pré-natal aos sons humanos, nomeadamente à fala, à qual o bebé está exposto pela mãe, estimula a sua reação a determinados sons e a sua atenção particular ao diálogo humano depois de nascer.


      A introdução à musicalidade pode ser feita desde bebé e devido à capacidade de aprendizagem e memorização é importante a exposição ao maior numero de géneros musicais e diversidade de instrumentos. Estudos revelam que os bebés e crianças conseguem prestar mais atenção e foco de aprendizagem consoante a qualidade musical dos sons. Um instrumento com melhor timbre e afinado é capaz de captar a atenção durante um período mais longo de tempo.

 

IMG_8436.JPG

 

      Tendo em consideração a memorização do ser humano é ainda mais importante este aspeto. Quando se escolhe um brinquedo que tenha alguma função musical, devemos ter em consideração os seguintes fatores.
     Durabilidade - é importante que o bebé, ou criança, possam "brincar" livremente com os instrumentos disponibilizados.
     Sonoridade - Este talvez seja o fator mais importante por duas razões: é importante dar às crianças uma melhor representação de um instrumento verdadeiro, ter uma escala relativamente precisa e organizada, e ter um som tolerável para os pais, pois é importante que eles possam brincar sem enlouquecer os pais.


      As crianças devem ter acesso livre a musica de qualidade, reforço a palavra qualidade visto que é fácil de comprovar que uma criança está mais atenta a uma música tocada com instrumentos verdadeiros do que uma música tocada inteiramente por sintetizadores, assim como a todas as outras formas de cultura.

 

IMG_3697.JPG

      Pessoalmente recordo as sessões que o meu pai costumava fazer de audição de música, não com algum intuito pedagógico especifico, mas como apreciador de música pela partilha da mesma. Fazia parte do nosso ritual familiar em casa, haver um dia por semana em que tínhamos uma espécie de sessão guiada de música. Eu, as minhas irmãs e os meus pais íamos escolhendo músicas, um de cada vez, e colocando no antigo gira-discos. Claro que estávamos limitados às músicas existentes em casa, mas agora com as novas tecnologias o acesso à música é infinito. Era importante ouvir as musicas até ao fim, e depois conversar sobre elas, sobre o que nos fazia sentir, se gostávamos ou não. Isso inspirou em grande parte o meu gosto pela música e pela vontade de querer aprender sempre mais.

 

 

 

Exemplos de instrumentos por faixa etária aproximada:
Até se conseguirem sentar
      - Caixas de música (o som não deve ser muito alto)
      - Guizeiras ou rocas


Até aos 4 anos aproximadamente
      - Instrumentos de percussão simples (pandeireta, tamborim, castanholas, clavas, reco-reco)
      - Alguns instrumentos melódicos (Flauta de Embolo, kazoo, harmónica, pianos ou teclados, xilofone de preferência com poucas teclas e em escala pentatónica)


Até aos 10 anos aproximadamente
      - Instrumentos Melódicos (Harpa de colo, flautim (tin whistle), ukelele)
      - Percussão (bateria, xilofones, metalofones)


A partir dos 10 anos qualquer instrumento que a criança demonstre interesse mas que esteja disposto a treinar de forma disciplinada.

Importante – ter um instrumento adaptado às particularidades das crianças (esquerdinos, invisuais, etc.)

 

Checklist - O que procurar num instrumento.

 

 

Loading Conversation